Arquivo de etiquetas: ICBAS

Maria de Sousa

Morreu Maria de Sousa, a mulher que pôs Portugal no mapa da Imunologia

A imunologista Maria de Sousa, Professora Emérita da Universidade do Porto e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), e Investigadora Honorária do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), faleceu durante a madrugada desta terça-feira, aos 81 anos de idade, depois de uma semana de internamento nos cuidados intensivos do Hospital São José, em Lisboa, vítima de Covid-19.

Uma das primeiras mulheres portuguesas a serem reconhecidas internacionalmente pelas suas descobertas científicas, Maria de Sousa (1939-2020) notabilizou-se pelas cruciais contribuições que deu para a definição da estrutura funcional dos órgãos que constituem o sistema imunitário.

“Maria de Sousa será para sempre lembrada como um dos nomes maiores da Universidade do Porto e da Ciência Portuguesa, tendo o seu trabalho merecido reconhecimento internacional numa altura em que ser cientista, particularmente uma mulher cientista, não era tarefa fácil”, recorda o Reitor da U.Porto, António de Sousa Pereira, perante o que classifica como “uma perda enorme para a Universidade do Porto e para a Academia Portuguesa”

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Ana Sofia da Costa Tavares

Sofia Tavares: um exemplo de cidadania na defesa do ambiente

Uma apaixonada pela natureza e pelas suas explorações nas poças de maré ou no quintal dos avós,  Sofia Tavares descobriu desde tenra idade que queria ser Bióloga Marinha: “Perguntavam-me se era para treinar golfinhos e eu respondia logo que não, que queria era estudar a grande barreira de coral na Austrália. Eu via muitos documentários…”, explica. Hoje com 23 anos, Sofia cumpriu o seu sonho na Universidade do Porto, que lhe atribuiu recentemente o Prémio de Cidadania Ativa, na área do Ambiente.

Na verdade, da mesma forma que cedo se apercebeu do caminho que queria traçar, também foi em criança que Sofia percebeu que a Natureza que tanto desejava conhecer estava em grande perigo e tinha de ser protegida. Tanto é que passava as férias de verão a colocar contentores de reciclagem e a ensinar toda a gente a fazer a reciclagem. “Eu era aquela pessoa chata que não deixava as pessoas atirar lixo ao chão” brinca.

Não estranha por isso que a jovem  de Famalicão tenha escolhido a biologia para fazer a diferença no mundo. E deu um passo decisivo em 2014, quando ingressou na licenciatura em Ciências do Meio Aquático do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS). Aí, rapidamente assumiu um papel ativo na comunidade académica: como presidente da comissão de acompanhamento de curso, no Núcleo de Estudantes de Biologia da Universidade do Porto (NEBUP), na comissão organizadora do V AEICBAS Biomedical Congress. Envolveu-se ainda em vários estágios extracurriculares em diferentes laboratórios e trabalhou em part-time durante dois anos.

Foi também nesse período que Sofia percebeu  que as ações como fazer reciclagem, desligar as luzes e a água quando não estamos a utilizar, não são suficientes para devolver à Natureza o equilíbrio que tanto se procura. Por isso mesmo, começou a interessar-se em estratégias para reduzir o seu impacto ambiental: andar de transportes públicos para todo o lado, reduzir o consumo de carne, procurar alimentos locais e sazonais, reduzir ao máximo as embalagens (desde alimentos a produtos de higiene), comprar em segunda mão e, acima de tudo, comprar menos. Muito menos…

A frequentar desde 2018 o Mestrado em Toxicologia e Contaminação Ambientais do ICBAS/FCUP, Sofia Tavares está focada atualmente na tese de dissertação – centrada nas comunidades microbiológicas associadas a redes de pesca perdidas- que está a desenvolver no EcoBioTec no Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambienta (CIIMAR), no âmbito do programa pré-graduado Blue Young Talent (BYTplus).

Mas mesmo com o “tempo escasso,” a proteção ambiental continua a ser uma prioridade par aa jovem bióloga marinha. E faz por transmiti-la aos mais novos como monitora do CIIMAR, onde faz visitas guiadas e desenvolve a temática “Plástico nos Oceanos” com alunos do ensino básico. Em paralelo, é também uma das  dinamizadoras do movimento Let’s Swap, iniciativa que ajudou a fundar em 2019 com o objetivo de promover a troca de roupas como forma de combater o desperdício têxtil e promover a economia circular.

– Naturalidade? Vila Nova de Famalicão

– Idade? 23 anos

– O que mais gosta na Universidade do Porto?

O desporto! Há muita oferta de modalidades na U.Porto, isso permitiu-me manter-me ativa.

– O que menos gosta na Universidade do Porto?

A burocracia. Desde tratar de bolsas, pedir documentos a tentar mudar alguma coisa ou criar eventos (palestras, workshops, etc.), tudo ocupa mais tempo do que, na minha opinião, devia ocupar levando a algum desânimo. Sempre que tento criar eventos ou mudar algo sinto que são criados obstáculos desnecessários, mas penso que isto é um defeito das instituições no geral.

– Uma ideia para melhorar a Universidade do Porto?

Valorizar mais ainda as atividades extracurriculares. Como sempre tive diversos projetos na minha vida, muitas vezes sinto-me em desvantagem relativamente a quem se dedica exclusivamente à universidade.

– Como prefere passar os tempos livres?

Adoro fazer caminhadas pela natureza (praia, floresta, campo) e explorar a vida que encontro pelo caminho. Também adoro ler e pesquisar e aprender sobre novos assuntos.

– Um livro preferido?

Kallocaína, uma distopia que se foca na perspetiva pessoal, na mente e como viver num estado totalitário pode transformar uma pessoa. Para além disso, foi escrito por Karin Boye, uma mulher pacifista, abertamente lésbica, anti-fascista a viver no século XX.

– Um disco/músico preferido?

The Doors

– Um prato preferido?

Esparguete al dente apenas com molho de tomate bem feito com manjericão.

– Um filme preferido?

O Labirinto do Fauno, de Guillermo del Toro

– Uma viagem de sonho?

Uma viagem longa a qualquer país com uma cultura diferente, que permita conhecer profundamente a cultura, história e natureza e como estas se relacionam.

– Um objetivo de vida?

Ter uma vida que me permita ter uma pegada neutra ou positiva no planeta, ajudando a implementar formas de regenerar o planeta.

– Uma inspiração? (pessoa, situação, livro, …)

Todos os ativistas que vou conhecendo, principalmente aqueles que se tornaram meus amigos. Às vezes sinto-me frustrada pelas minhas ações não estarem a ter o impacto que esperava ou por tudo o que vejo acontecer à minha volta que vai contra os meus valores, mas ver o impacto que as ações de outra pessoa tem no mundo dá-me vontade de continuar.

– O projeto da sua vida?

Neste momento o projeto da minha vida é o Let’s Swap. É um movimento de troca de roupas para que quando as pessoas precisam ou querem roupa “nova” não recorram à Fast Fashion (industria muito poluente associada a vastos problema éticos). Assim toda aquela roupa que temos no nosso armário que já não utilizamos, pode ter uma nova vida. Este é um projeto que me diz muito porque me permitiu conhecer pessoas incríveis e juntos construímos uma comunidade incrível.

– O que tens feito atualmente em prol da proteção ambiental?

Considero a educação ambiental algo com muita importância para todas as idades e níveis de formação por isso, sou também monitora no CIIMAR e estava a organizar uma Semana com várias atividades (e um swap market, claro) no ICBAS, mas que infelizmente teve que ser cancelada devido aos acontecimentos atuais. Sempre que posso, participo na Greve Climática e ajudo outros grupos de ativismo, mas infelizmente o tempo tem sido escasso.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Alumni da U.Porto juntam-se em Paris

O orgulho de ser antigo estudante da U.Porto vai fazer-se sentir em Paris. No próximo dia 19 de outubro, terá ali lugar o primeiro encontro dos antigos estudantes (Alumni) da U.Porto residentes na capital francesa, promovido pela Embaixadora Alumni da U.Porto em Paris, Mariana Maciel.

A diversidade e o orgulho prometem ser a nota dominante deste 1º Encontro Alumni U.Porto, que contará com a presença do Embaixador de Portugal em França, Jorge Torres Pereira. Este jantar convívio irá igualmente contar com a participação de uma delegação institucional da U.Porto, encabeçada pelo Reitor, António de Sousa Pereira, e pelo Vice-Reitor responsável pelo Gabinete de Apoio aos Antigos Estudantes da U.Porto, Hélder Vasconcelos.

Considerando este evento como uma “peça fundamental na política de relações externas da U.Porto com os seus antigos estudantes a residir no estrangeiro”, Hélder Vasconcelos realça mesmo que “é essencial um envolvimento alargado destes Alumni com a U.Porto”, na medida em que “proporciona uma importante fonte de conhecimento para os atuais estudantes da U.Porto e ensinamentos muito úteis para os que ponderam desempenhar a sua atividade profissional fora do país”.

Foi precisamente esse o caso de Mariana Maciel, que se mudou para França em 2014, pouco depois de terminar o Mestrado Integrado em Medicina Veterinária no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS). Nas memórias ficaram os “6 anos de muito trabalho no ICBAS, mas recordados com muito carinho”. Já quanto ao regresso a Portugal, esta portuense de gema lembra que “tudo é possível e há que agarrar os obstáculos, transformá-los em desafios e disfrutar da oportunidade de se poder moldar a vida!”

Tal como em outros encontros internacionais, a mobilização para este 1º Encontro Alumni U.Porto em Paris está a ser auxiliada através do grupo “U.Porto Alumni em Paris” no Linkedin. Nesta rede social, os antigos estudantes da U.Porto que residem nesta região podem obter mais informações e efetuar a sua inscrição (até 15 de outubro) no evento.

Este evento insere-se no programa Embaixadores U.Porto Alumni, coordenado pela Vice-Reitoria responsável pelo Gabinete de Apoio aos Antigos Estudantes da U.Porto. Um programa que “representa uma fonte privilegiada de obtenção de informação para os órgãos de gestão da U.Porto e promove”, segundo Hélder Vasconcelos, “a intensificação da partilha de experiências e de conhecimento entre todos os elementos do universo U.Porto, do qual a rede de antigos estudantes é uma componente muito importante.”

Todos os antigos estudantes da U.Porto que residem em Paris ou arredores estão convidados a participar neste encontro, marcado para as 19h30 do próximo dia 19 de outubro, no restaurante Le Saint Martin, em pleno coração da cidade de Paris.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Alumnus da U.Porto é o novo Pró-Reitor da U.Minho

Manuel João Costa, antigo estudante da Universidade do Porto é o novo Pró-Reitor para os Assuntos Estudantis e Inovação Pedagógica da Universidade do Minho.

Nascido em 1969 em Cedofeita, distrito do Porto, licenciou-se em Bioquímica pela Universidade do Porto e doutorou-se em Ciências Biomédicas pela mesma Universidade. É professor associado da Escola de Medicina (EMUM), onde leciona desde 2004. Nesta Escola foi coordenador da Unidade de Educação Médica, responsável pelo desenvolvimento do Estudo Longitudinal da EMUM e pelo desenvolvimento do processo de seleção dos candidatos ao Concurso Especial de acesso ao curso de Medicina por titulares do grau de licenciado. Foi membro do Conselho Geral da Universidade entre 23 de outubro de 2017 e setembro de 2018. É membro do Centro “IDEA-UMinho”.

Atualmente professor da Escola de Medicina da Universidade do Minho, Manuel João Costa tomou posse a 14 de setembro como Pró-Reitor para os Assuntos Estudantis e Inovação Pedagógica. A cerimónia decorreu pelas 14h30, no salão nobre da Universidade, no Largo do Paço, em Braga.

A sua atividade tem incidido sobre a inovação nas práticas pedagógicas no ensino superior e sobre a investigação da educação na área da saúde, em particular na educação médica. Em Portugal, participou na fundação e lidera a Rede de Investigação em Educação Médica, estando associado a diversas iniciativas de desenvolvimento e inovação no ensino-aprendizagem no ensino superior. Organizou diversos cursos de desenvolvimento de práticas pedagógicas para docentes do Ensino Superior em Portugal, Espanha e Brasil. Internacionalmente, tem exercido funções em comissões internacionais na sua área de intervenção e, atualmente, é membro da comissão diretiva da Sociedade Espanhola de Educação Médica. O seu currículo inclui cerca de 60 publicações científicas.

Fonte: U.Minho

Alumna da U.Porto é um dos rostos da Geração Erasmus+

Mariana Pinto da Costa, antiga estudante de Medicina e atual professora do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), foi escolhida para representar Portugal na redação e apresentação da Declaração da Geração Erasmus+ , documento que inclui um conjunto de recomendações para o futuro do mais conhecido programa de mobilidade estudantil no Ensino Superior, que este ano assinala 30 anos de existência.

Redigida em nome dos mais de 9 milhões de pessoas que fizeram Erasmus nos últimos 30 anos, a Declaração da Geração Erasmus+ foi apresentada esta quinta-feira, em Bruxelas, na presença do Comissário Europeu para a Educação, Cultura, Juventude e Desporto, Tibor Navracsics, durante a sessão encerramento das comemorações dos 30 anos do programa Erasmus. Nela constam 30 recomendações – que serão discutidas no Parlamento Europeu – para reforçar e alargar o Erasmus+, e assim aumentar o seu impacto do programa no futuro da Europa.

Médica de Psiquiatria no Hospital Magalhães Lemos (Porto), Mariana Pinto da Costa destacou-se, enquanto estudante do Mestrado Integrado em Medicina do ICBAS, ao ser galardoada, em 2009, com o prémio da Comissão Europeia “Erasmus, Histórias de Sucesso – Estudante Erasmus 2 milhões” pelas suas experiências  na Facoltà di Medicina e Chirurgia da Università degli Studi di Siena (Itália) e na English Division da Second Faculty of Medicine da Warszawski Uniwersytet Medyczny (Polónia), ao abrigo do programa Erasmus. Esta distinção valeu-lhe a participação na conferência “Erasmus – the way forward and the Green paper on mobility of young people”, que decorreu na Suécia.

A participação no Programa Erasmus marcaria, de resto, um percurso profundamente marcado pelo envolvimento internacional. Atual Presidente da Federação Europeia dos Internos de Psiquiatria (EFPT) – representante máxima dos internos de Psiquiatria da Europa -, Mariana Pinto da Costa é colaboradora da Gulbenkian Global Mental Heatlh Platform e formadora na Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM/PorMSIC) e na IFMSA (International Federation of Medical Students Association).

Mariana Pinto é professora convidada do ICBAS desde 2014. A sua atividade docente incide sobretudo nos domínios da Medicina Legal e da Psiquiatria Forense.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Alumna da U.Porto traz VEPRA Conference para Portugal

Bárbara Assis, antiga estudante (alumna) da U.Porto, e uma das fundadoras da VEPRA (Veterinary European Physical Therapy and Rehabilitation Association) traz este ano, até à cidade do Porto, o 5th VEPRA Conference, que irá realizar-se de 9 a 10 de Setembro de 2017 no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da U.Porto.

A VEPRA, associação fundada em 2009, tem como objetivo promover e desenvolver a área de Reabilitação e medicina física e desportiva animal. Na edição deste ano, o programa será dedicado a temas como a Medicina Regenerativa e Reabilitação Funcional.

Alumnus da U.Porto vence Prémio Europeu em Virologia

O médico e investigador Hugo Sousa, antigo estudante da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), é o vencedor da edição deste ano do “Abbott Diagnostics Award”, tornando-se assim o primeiro português a receber o prémio atribuído anualmente pela Sociedade Europeia de Virologia Clínica (ESCV, European Society for Clinical Virology) a médicos e investigadores que se destaquem pelo seu trabalho na área do diagnóstico clínico em Virologia.

Natural de Barcelos,  Hugo Sousa, de 35 anos, trabalha no Serviço de Virologia do Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO Porto), onde se tem dedicado a investigar as infeções por vírus associadas a cancro.”Nos últimos anos, desenvolvemos alguns estudos particularmente com doentes submetidos a transplante de células progenitoras hematopoiéticas, onde o desenvolvimento de infeções por vírus é um fator de mau prognóstico. Um dos mais recentes está relacionado com a deteção de mutações do Citomegalovírus (CMV) que estão associadas à resistência à terapêutica ”, descreve o investigador, explicando que a identificação precoce desses vírus possibilita definir formas de tratamento “mais eficazes, com menos sofrimento e diminuir a mortalidade destes doentes”.

Licenciado em Microbiologia pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto, Hugo Sousa é mestre em Oncologia e doutorado em Ciências Biomédicas pelo ICBAS. Mais recentemente, em 2014, concluiu o Mestrado Integrado em Medicina na FMUP. Ligado há 15 anos ao IPO Porto, onde é Técnico Superior de Saúde no Serviço de Virologia e investigador no Grupo de Oncologia Molecular e Patologia Viral CI-IPOP, dá ainda aulas na Escola Superior de Biotecnologia da UCP e cumpre atualmente o Ano Comum do Internato Médico na Unidade Local de Saúde do Nordeste – Unidade Hospitalar de Mirandela.

Em relação à conquista do “Abbott Diagnostics Award”, o investigador barcelense mostra-se “lisonjeado” por receber aquele que “é uma espécie de Óscar do diagnóstico da Virologia” (destina-se a investigadores com mais de dez anos de atividade científica ligada à Virologia e só pode ser atribuído uma vez à mesma pessoa), entregue anteriormente a “pessoas com trabalhos extremamente importantes na área da virologia a nível mundial”.  “Era absolutamente inesperado, pois sendo por nomeação [e não por candidatura] não há forma de saber que estamos nesse grupo de possíveis vencedores. Tudo isso faz com que receber este prémio seja muito honroso”.

O galardão será entregue em setembro, em Stresa, Itália, durante o congresso anual da Sociedade Europeia de Virologia Clínica.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

primeiro encontro alumni uporto suiça universidade do porto

Orgulho de ser U.Porto marca primeiro encontro de Alumni na Suíça

A diversidade e o orgulho foram a nota dominante no primeiro encontro dos antigos estudantes da Universidade do Porto (U.Porto) residentes na Suíça, que se realizou no passado dia 30 de janeiro na cidade de Genebra.

Cerca de cinco dezenas de antigos estudantes da U.Porto, vindos não só de Genebra mas também de outras cidades como Zurique, Berna, Basileia e Lausanne, esgotaram a “La Cantine des Commerçants”, o local escolhido para a realização do encontro. “Com muita pena minha, tive de recusar várias inscrições nas vésperas do evento, por falta de espaço”, realçou Ana Filipa Linhas, a Embaixadora ALUMNI da U.Porto em Genebra, deixando a porta aberta para a realização de mais eventos semelhantes num futuro muito próximo.

O encontro contou também com a presença de uma delegação da U.Porto encabeçada pelo Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo e pelo Pró-Reitor da U.Porto com o pelouro dos Antigos Estudantes, Carlos Brito. Sebastião Feyo de Azevedo salientou mesmo que este evento “representou um passo muito importante na estratégia de internacionalização e na aproximação aos antigos estudantes da Universidade”.

O Reitor da U.Porto realçou os três eixos fundamentais desta estratégia, que passam pelo “apoio constante à comunidade ALUMNI da U.Porto, ouvir o que esta comunidade tem a dizer à Universidade e promover o relacionamento e o networking da comunidade entre si”.

Este evento, que consistiu num jantar convívio em ambiente informal, ficou marcado não só pela forte participação da comunidade alumni da U.Porto mas também pela sua diversidade, contando com a presença de antigos estudantes de 11 faculdades diferentes: Arquitectura (FAUP), Belas Artes (FBAUP), Ciências (FCUP), Desporto (FADEUP), Direito (FDUP), Economia (FEP), Engenharia (FEUP), Farmácia (FFUP), Letras (FLUP), Medicina (FMUP) e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS).

Smiley face

Mafalda Tenente, alumna da FEP residente em Zurique (a cerca de 3 horas e meia de distância de Genebra) deslocou-se exclusivamente para este jantar e recordou a “excelência do ensino da U.Porto”, algo que “se reflete quando chegamos ao estrangeiro dando-nos uma bagagem muito sólida para o mundo empresarial”. A gestora de marketing na indústria farmacêutica considera o esforço de “ativar a rede alumni da U.Porto muito importante”.

Também César Carpinteiro, alumnus da FEUP e um dos vários antigos estudantes da U.Porto que são agora colaboradores no CERN, e que estiveram presentes neste evento, recordou as excelentes “condições que a Universidade proporcionou para conhecer o mundo”. Já Sérgio Coelho, também alumnus da FEUP  e atual quadro de uma farmacêutica suíça, manifestou inclusivamente a vontade de ajudar a sua alma mater na promoção de estágios na sua empresa.

Mas a comunidade ALUMNI da U.Porto é também é uma história de famílias. Exemplo disso mesmo são Tony Gomes e Marta Perez, casados, e ambos antigos estudantes da FCUP e que, juntamente com o filho de 4 anos, marcaram presença neste encontro. A vontade de regressar à Universidade para voltar a estudar foi uma nota dominante, “nem que seja uma pós-graduação”, salienta Tony Gomes.

Este evento inseriu-se no programa Embaixadores U.Porto ALUMNI coordenado pelo Pró-Reitor para os Antigos Estudantes. Nas palavras de Carlos Brito, “esta iniciativa de desenvolvimento do programa de Embaixadores U.Porto ALUMNI, devidamente articulada com as várias Faculdades, é mais um dos fortes contributos para a implementação de uma nova política de gestão de relações com os antigos estudantes da U.Porto”. Nesse âmbito, Carlos Brito recorda também o desenvolvimento, em curso, de “um projeto tecnológico integrado de modernização digital da rede ALUMNI da U.Porto”. Projeto este que se estrutura através do novo Portal ALUMNI U.Porto, através de um sistema de Costumer Relationship Management (que irá profissionalizar e modernizar a base de dados dos antigos estudantes da U.Porto, que conta, atualmente, com cerca de 90.000 contactos de antigos estudantes registados) e ainda uma forte aposta na presença da U.Porto na plataforma de rede social Linkedin.

De referir que esta rede social desempenhou mesmo um papel fundamental na mobilização dos antigos estudantes da U.Porto, localizados na Suíça, através do grupo “U.Porto ALUMNI na Suíça”.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Veja também:
Galeria de Fotos | Reportagem Vídeo | Reação no Facebook | Reação no Facebook II

https://alumni.up.pt/news/orgulho-de-ser-u-porto-marca-primeiro-encontro-de-alumni-na-suica/

Antigo estudante uporto conquista prémio de medicina veterinária

Antigo estudante da U.Porto conquista prémio de medicina veterinária

Joel Ferraz, antigo estudante do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) da Universidade do Porto, é o vencedor da edição 2015 do Prémio Veterinária Atual (VA) – categoria CAMV do Ano (Consultório/Clínica Médico-Veterinária do Ano) -, uma iniciativa da Revista Veterinária Atual que tem como objetivo homenagear as personalidades e empresas que mais se destacaram na área da Medicina Veterinária durante o último ano.

Aos 37 anos, o médico veterinário portuense vê reconhecido o trabalho que vem desenvolvendo, desde 2009, à frente do Centro Veterinário de Exóticos do Porto (CVEP), um espaço especializado no tratamento de todos os animais de companhia diferentes do cão e do gato. “Quando surgia um coelho, um papagaio, ou uma tartaruga, deslocava-me às instalações de onde me chamavam. Mas no que respeita à cirurgia e internamento, sentia necessidade de um local mais especializado”, explica Joel Ferraz.

O CVEP conta com instalações desenhadas a pensar nestas espécies e, sobretudo, com uma equipa dedicada a esta prática clínica, 24 horas por dia. Além do serviço prestado aos pacientes e clientes, o Centro desenvolve também trabalho na parte da formação, recebendo estagiários de diversas faculdades de Medicina e de Enfermagem Veterinárias, como é o caso do ICBAS, bem como diversos estudos e alguma investigação na área.

Para Joel Ferraz,  o Prévio VA “é um grande orgulho e um incentivo para continuar este esforço de fazer o melhor pelos animais exóticos de companhia. Fazê-los viver mais e melhor!”

Natural do Porto, Joel Ferraz licenciou-se em Medicina Veterinária pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar em 2002, tendo realizado o estágio curricular na Universidade Autónoma de Barcelona. Com larga experiência profissional, nomeadamente na prática clínica em Animais Exóticos de Companhia, completou o mestrado em Bioética pela FMUP (2009), com uma tese na área dos “Animais Selvagens de Estimação e Ética Veterinária”. Entre 2007 e 2012 colaborou  na docência do curso de Medicina Veterinária no ICBAS, na disciplina de Semiologia Médica e Patologia Médica.

Em paralelo com o trabalho que desenvolve como Diretor clínico do Centro Veterinário de Exóticos do Porto (CVEP), é também médico veterinário responsável no Sea Life – Porto, desde 2013.

Fonte: Portal de Notícias da Universidade do Porto