Arquivo de etiquetas: FLUP

Amor com “história” no “Alumni Mundus”

No primeiro episódio da segunda série do Alumni Mundus “Amor à U.Porto”, trazemos-vos a história do casal de antigos estudantes André Teixeira e Sandra Amaral, que entraram na Faculdade de Letras em 1996, para frequentarem a Licenciatura de História mas que ainda hoje continuam a fazer parte da Universidade!

A Sandra e o André conheceram-se na Escola Secundária Rainha Santa Isabel, onde ambos estudaram durante o ensino secundário. Não foi um caso de amor à primeira vista. O Cupido teve que esperar… e só entre o fim do secundário e o ingresso na Universidade do Porto é que decidiram ser algo mais do que amigos. Na Faculdade de Letras o namoro foi fortalecendo os sentimentos e desde essa altura a cumplicidade e o amor foi crescendo permitindo manter, nos bons e maus momentos, a caminhada que começou a dois e que se mantem até hoje, agora a três. 

Para saber mais sobre esta história de amor, acompanhe-nos em: https://up.pt/casacomum/alumni-mundus/   

Este é o “Alumni Mundus”, o podcast que pretende mostrar-vos o Mundo dos Alumni UP.

“Alumni Mundus” é uma série de podcasts que vai abordar diferentes temas e que pretende dar a conhecer a vida e os percursos dos Alumni da Universidade Porto. Este projeto é uma iniciativa do Gabinete Alumni da Reitoria, dos Gabinetes Alumni da Faculdade da Engenharia e do Gabinete de Comunicação e Imagem da Faculdade de Desporto, com a participação de todas as unidades orgânicas da Universidade do Porto e o apoio da Casa Comum. A segunda série “Amor à U.Porto” traz-nos as histórias de antigos estudantes que encontraram a sua “cara metade” na U.Porto. 

International Heritage Summer School 2021 (IHSS 2021)

Escola Internacional de Verão 2021 – Património Cultural

Vai decorrer em Vila Nova de Foz Côa, na região do Douro, de 19 a 24 de julho de 2021, a International Heritage Summer School 2021. A escola de verão apresenta-se como uma experiência laboratorial de aprendizagem, procurando associar aportações teóricas à aplicação metodológica de observação, registo e interpretação da paisagem e do património cultural. Justifica-se a escolha do Douro, como território marcado por múltiplas problemáticas que permitem intersecções entre assuntos interdisciplinares. O curso será desenvolvido em regime teórico-prático, e está acreditado com 6 ECTS.

Esta atividade é organizada pelo CITCEM – U.Porto, em colaboração com a Fundação Côa Parque e o Município de Vila Nova de Foz Côa, e com apoio da Universidade de Santiago de Compostela e da Universidade de Florença.

CANDIDATURAS ABERTAS EM: http://bit.ly/3omcWiI.

+ info – https://bit.ly/30IrGj5

facebook –  https://www.facebook.com/events/807903013378926

Matrícula inclui alojamento, refeições e seguro escolar.

Valor: 322€

Antigos Alunos da Universidade do Porto: 252€

Candidaturas abertas!

Contactos:

ihss.heritage@gmail.com

Paulo Oliveira

“Alumni Mundus” viaja do Porto até Varsóvia!

Neste episódio da primeira série “Viagem à U.Porto”, vamos  até Varsóvia,  conhecer Paulo Oliveira, alumnus da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, que considera o Porto a sua cidade. Passou também pela Universität zu Köln (Colónia, Alemanha), mas vive há cerca de sete anos em Varsóvia, depois de ter passado quase dez anos a viajar e a trabalhar pelo mundo fora. Paulo tem 36 anos e já foi guia turístico, intérprete no tribunal, professor, cozinheiro, lavou pratos, trabalhou vários verões num campo de férias e, como voluntário, em orfanatos. Hoje trabalha numa corporação na área das finanças.

Tem duas grandes paixões, as viagens que o levaram da Europa à Ásia, do Médio-Oriente a África e à América do Norte, e as línguas… Além do óbvio português, fala fluentemente inglês, alemão, francês, italiano, polaco e castelhano. Mas o seu grande amor, apesar de não ter planos para voltar a curto ou médio prazo, é o Porto. Quer saber mais? Ouça o podcast aqui.

Este é o “Alumni Mundus”, o podcast que pretende mostrar-vos o Mundo dos Alumni U.Porto.

“Alumni Mundus” é uma série de podcasts que vai abordar diferentes temas e que pretende dar a conhecer a vida e os percursos dos Alumni da Universidade Porto. Este projeto é uma iniciativa do Gabinete Alumni da Reitoria, dos Gabinetes Alumni da Faculdade da Engenharia e do Gabinete de Comunicação e Imagem da Faculdade de Desporto, com a participação de todas as unidades orgânicas da Universidade do Porto e o apoio da Casa Comum. A primeira série “Viagem à U.Porto” leva-nos a descobrir percursos de Alumni dos diferentes cursos da UP em estórias de vida que se entrelaçam em percursos únicos.

Marta Pais Oliveira

Alumna da U.Porto vence Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís

“Escavadoras” é o título do romance que valeu a Marta Pais Oliveira, alumna da Universidade do Porto, o primeiro lugar na mais recente edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís. Com este reconhecimento chega um prémio no valor de 10 mil euros e a oportunidade de publicar o seu primeiro livro, um sonho “que se pode agora tornar real”.

Tudo começou há cerca de oito anos, com a escrita dos primeiros contos. Mas foi com a realização de um Seminário de Criação Literária, orientado pro Luís Carmelo, que despertou o esboço daquele que viria a ser o primeiro romance de Marta, escrito no verão passado, pouco antes de ser mãe pela primeira vez. “O universo inicial de personagens – mãe, filha e neta – alargou-se para dar corpo à história da família que vive num lugar ameaçado pela construção do novo troço da autoestrada”, adianta. 

Licenciada em Ciências da Comunicação pela U.Porto, e com uma Pós-Graduação em Comunicação Empresarial da Porto Business School, Marta Pais Oliveira é diretora de contas e trabalha em publicidade. Diz-se inspirada por José Saramago, Dostoiévski, Agustina Bessa-Luís, Emily Dickinson, Maria Velho da Costa, Clarice Lispector e muitos outros, já que “tem dificuldades em fazer listas”.

A jovem escritora de 30 anos conta que este pode ser o primeiro de outros livros, mas que na verdade é um “um impulso para escrever mais, escrever melhor”. Apesar de já ter participado em alguns concursos literários, foi a primeira vez que se candidatou com um romance e foi premiada. No entanto, confessa que teve sempre o “o prémio – fundamental – de quem leu os rascunhos e incentivou a continuar”.

O Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís

Criado em 2008 pela Estoril Sol, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís visa distinguir e divulgar novos talentos literários, sem obra publicada.

Do júri do galardão fazem parte representantes do Centro Nacional de Cultura, da Associação Portuguesa de Escritores, da Direção-Geral do Livro, das Bibliotecas e dos Arquivos, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários e outros convidados e autores reconhecidos.

 Para além do prémio monetário, a obra vencedora é editada e publicada através de um protocolo com a Editorial Gradiva.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Alberto Seixas

Curta-metragem de alumnus da U.Porto brilha em concurso internacional

A curta-metragem Hunting Day, da autoria do realizador português e antigo estudante da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), Alberto Seixas, integra o grupo exclusivo das 25 melhores que se apresentaram à edição deste ano do STRAIGHT 8, um concurso internacional que premeia, há mais de duas décadas, os melhores filmes do mundo gravados integralmente em formato Super 8.

Inteiramente gravada em Celorico de Basto, terra natal do realizador e atual técnico do núcleo de Tecnologias Educativas da Universidade do Porto, Hunting Day é descrita como um drama que aborda um dia no percurso de sobrevivência de um homem errante. O ator João Marçal assume o papel principal na curta-metragem.

A edição deste ano do STRAIGHT 8 reuniu mais de 100 concorrentes de 26 países e contou com um painel de jurados de excelência. Asif Kapadia, realizador do Documentário Amy (2015) e vencedor do Óscar Documentário de Melhor Longa-Metragem, e Robbie Ryan, diretor fotográfico premiado pela Academia Norte-Americana de Cinema, são alguns dos nomes mais reconhecidos.

Os oito melhores filmes da competição vão ser exibidos no dia 24 de junho, pelas 20h00, em straight8.net. Dois dias depois, e à mesma hora, serão exibidas os 25 melhores, entre os quais se inclui o trabalho de Alberto Seixas.

Arrepiar caminho no mundo da realização

Hunting Day não é, contudo, o primeiro trabalho do realizador a ser premiado. Com Um Homem Não é Um Homem SóAlberto Seixas venceu em 2018 o Prémio Sophia Estudante para Melhor Curta-metragem de Documentário, bem como o de Melhor Documentário no 3in1 Festival e ainda uma Menção Honrosa para Melhor Primeira Obra no Shortcutz Ovar.

A somar aos sucessos na realização, o técnico dos MIL assina também a direção de fotografia de Hunting Day (2020), Um Homem Não é Um Homem Só (2018) e Bom Caminho (2017). Como assistente de som,  On N’Est Pas Près D’être Des Super Héros (2019), Vento de Sal (2019), Traversings (2017) e Invisible Other (2016).

Alberto Seixas colaborou ainda com os realizadores Steve Harrison, Morag Brennan, Eddy Joseph e Ana Luísa Oliveira em diferentes funções.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Maria Pimentel, recém-licenciada em Ciências da Comunicação – vertente Jornalismo

Prémio “Jornalismo em Saúde” distingue alumna FLUP

Rir é o melhor remédio, já diz o provérbio. E diz também a reportagem que valeu a Maria Pimentel, recém-licenciada em Ciências da Comunicação – vertente Jornalismo pela Universidade do Porto, a conquista do prémio “Universitário Revelação”, atribuído no âmbito da 4.ª edição dos prémios Jornalismo em Saúde, promovidos pela Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (APIFARMA) e pelo Clube de Jornalistas.

Publicado em abril de 2019, no JornalismoPortoNet (JPN), o trabalho agora distinguido com 1000 euros propõe uma viagem sonora ao universo da Terapia do Riso, técnica importada da Índia e que procura evidenciar os benefícios do riso para a saúde física e mental.

“Alegra-me o facto de ser este o tema premiado, e de dar visibilidade a uma técnica que continua a ser um tabu em Portugal. Chegou a hora de soltarmos esses preconceitos e encararmos o riso como uma ferramenta que todos temos ao nosso alcance”, destaca Maria Pimentel, que desenvolveu a reportagem no âmbito da unidade curricular de Atelier Integrado de Jornalismo, lecionada no último ano do curso.

Para dar som a “Muito riso, muito siso”, a agora antiga estudante da U.Porto participou nas sessões de terapia dinamizadas pelo Projeto Rir Agora, iniciativa que atua em prisões, escolas, lares e empresas. O objetivo passa por “fingir até atingir“, através de dinâmicas sensoriais que incluem música, dança, jogos, exercícios de respiração e convívio.

Mas o que “ganhamos”, afinal, quando nos rimos? “Na verdade, rir ativa mais de 400 músculos no nosso corpo, reforça o sistema imunitário, melhora a circulação sanguínea, diminui a pressão arterial e o risco de doenças cardíacas, estimula o sentido de humor, promove a tolerância, melhora a autoconfiança… e a lista continua por aí fora”, finaliza Maria Pimentel. Mas não sem antes deixar uma dica para estes tempos de isolamento social: “Em casa, riam e sorriam por tudo e por nada porque é o melhor antidepressivo natural e sem contraindicações”.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Seniores da FLUP participam em intercâmbio

Em maio de 2019 um grupo de 23 estudantes do Programa de Estudos Universitários para Seniores (PEUS) da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP) visitou a Faculdade de Letras da Universidade Tomas Bat’a em Zlín, na República Checa.

Este intercâmbio com uma universidade estrangeira permitiu um conjunto de atividades de índole cultural e linguística, para além de dar a conhecer Portugal além fronteiras, através de apresentações feitas pelos próprios estudantes. Temas que abrangem história e cultura portuguesa, tradições populares, gastronomia, geografia e ciência, com especial foco no talento de artistas plásticos, arquitectos, engenheiros, músicos, escritores, cientistas, alguns dos quais formados pela Universidade do Porto, foram referenciados pelos estudantes.

Uma partilha de experiências e interesses entre a comunidade portuguesa e os estudantes seniores de Zlin, que culminou numa experiência gratificante para todos os participantes, ficando a intenção de os receber na Universidade do Porto para uns dias produtivos e animados.

Startup da UPTEC nas 100 melhores de inteligência artificial do mundo

DefinedCrowd, startup incubada na UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, está entre as 100 melhores e mais promissoras empresas de inteligência artificial do mundo, de acordo com o ranking anual da consultora CG Insights, que destaca projetos que estão a revolucionar o mercado da inteligência artificial.

Criada, em 2015, por Daniela Braga, alumna das faculdades de Letras e de Engenharia da U.Porto, a DefinedCrowd é uma empresa especializada em recolher e “treinar dados” para criar modelos de inteligência artificial, combinando técnicas de machine learning (aprendizagem automática) e human-in-the-loop (modelo que requere interação humana), para viabilizar o desenvolvimento linguístico de robôs.

Atualmente, a startup emprega 75 colaboradores, sendo que sete deles são alumni da U.Porto, e tem escritórios em Portugal (Lisboa e Porto), nos Estados Unidos e, desde abril, em Tóquio.

Destacando-se de entre mais de três mil startups mundiais que operam na área de training data (treino de dados), a tecnológica portuguesa trabalha com empresas que desenvolvem e melhoram sistemas de Inteligência Artificial, e já conta com clientes dos reputados rankings Fortune 500 e Fortune 50, como a Mastercard, BMW, Nuance ou Yahoo Japan.  Apoiada pela sua própria comunidade de mais de 45 mil membros qualificados espalhados por todo o mundo- a Neevo by DefinedCrowd -, a empresa disponibiliza dados em 46 línguas.

Em 2018, a Definedcrowd recebeu investimento de série A, no valor de cerca de 10 milhões de euros. A ronda de investimento, liderada pela Evolution Equity Partners, apresenta a Kibo Ventures, Mastercard e EDP Ventures como novos investidores, contando ainda com investimento adicional dos atuais investidores Sony, Portugal Ventures, Amazon Alexa Fund e Busy Angels.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Alumna da U.Porto recebe menção honrosa da UNESCO

Catarina Santos, jornalista da Rádio Renascença e antiga estudante da U.Porto (Ciências da Comunicação) recebeu a menção honrosa da UNESCO com a reportagem ““Encalhados no Quintal da Europa”.

Este trabalho que retrata a situação de migrantes e refugiados retidos na ilha de Lesbos e em Atenas já tinha sido distinguido, em Junho deste ano, com o prémio europeu “Migration Media Award”.

Também em Novembro de 2016, e com este trabalho, Catarina Santos ganhou os Prémios Obciber, da U.Porto na categoria Reportagem Multimédia.

Fonte: Rádio Renascença
rui lage alumni uporto antigo estudante universidade do porto

Alumnus da FLUP vence Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2016

O poeta e ensaísta Rui Lage, antigo estudante da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), é o vencedor da edição 2016 do prestigiado Prémio Literário Fundação Inês de Castro, pela obra Estrada Nacional.

Natural do Porto, Rui Lage  (1975) é licenciado em Estudos Portugueses e Ingleses pela Faculdade de Letras da U.Porto, tendo fundado e dirigido, entre 1998 e 2004, a revista de literatura, música e artes visuais Águas-Furtadas, editada pelo Jornal Universitário do Porto. Em 2010, concluiu a sua tese de doutoramento em Literaturas Românicas (Perda, Luto e Desengano: a Elegia na Poesia Portuguesa do Século XX), também na FLUP.

Autor de sete livros de poesia, publicados entre 2002 e 2016, assina regularmente ensaios, traduções, crítica literária, ficção infanto-juvenil, textos para teatro, artigos académicos e de opinião. No início deste ano, lançou um ensaio sobre a obra poética de Manuel António Pina.

Em relação à obra premiada, Estrada Nacional é apresentada pela Fundação como “uma viagem com partida e regresso pelo mundo rural, com o itinerário definido poema a poema, estrada a estrada”. Com este livro, publicado em outubro de 206, Rui Lage encerra igualmente um ciclo dedicado ao mundo rural marcado pela publicação de Berçário (2004), Corvo (2008), Um Arraial Português (2011) e Rio Torto (2014).

O Júri do Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2016 foi presidido por José Carlos Seabra Pereira, integrando ainda os nomes do escritor Mário Cláudio,dos poetas Pedro Mexia e António Carlos Cortez e da antiga Ministra da Cultura e professora da FLUP, Isabel Pires de Lima.

Nas nove edições anteriores, o Prémio Literário Fundação Inês de Castro distinguiu obras de autores portugueses como Pedro Tamen, (2007), José Tolentino Mendonça (2009), Gonçalo M. Tavares (2011) Mário de Carvalho (2013) e Luís Quintais (2014), entre outros.

A cerimónia de entrega do galardão acontecerá no próximo dia 8 de abril, na Quinta das Lágrimas, em Coimbra.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto