Arquivo de etiquetas: FADEUP

Federação Nacional de Karate – Portugal

Alumnus da U.Porto recebe 2º Prémio no concurso “Desporto com Ética/2019”

A 8.ª edição do Prémio de Imprensa “Desporto com Ética / 2019” distinguiu, na categoria Imprensa Regional com o 2.º Prémio, Jorge Machado, alumnus da Universidade do Porto.

Promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, IP (através do PNED – Plano Nacional de Ética no Desporto) e pelo CNID – Clube Nacional de Imprensa Desportiva / Associação dos Jornalistas de Desporto, esta iniciativa premeia os artigos que incentivam temas relacionados com a Ética e Fair Play no Desporto.

Jorge Machado é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito e mestre em Gestão Desportiva pela Faculdade de Desporto ambos da Universidade do Porto. Tem desenvolvido uma ação meritória e reconhecida na qualidade de embaixador para a ética no desporto. Com um percurso desde sempre ligado ao desporto, nomeadamente no karaté, onde se destacou como atleta de alto rendimento, ao serviço do país e ao qual continua ligado na qualidade de formador e elemento da equipa técnica nacional da Federação Nacional de Karaté de Portugal.

Fonte: Santo Tirso Digital

Morreu António da Silva Costa, professor e figura histórica da FADEUP

António da Silva Costa, professor catedrático jubilado e figura central na história da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), faleceu na passada quarta-feira, na Bélgica, aos 82 anos de idade, vítima de doença prolongada.

Pioneiro na investigação e ensino da Sociologia e Antropologia do Desporto na U.Porto, António da Silva Costa foi o primeiro Professor Catedrático da FADEUP na sua área de intervenção, em cuja afirmação assumiu sempre um papel central.

Em paralelo, “desempenhou igualmente um papel fundamental no crescimento e desenvolvimento da nossa Faculdade, enquanto instituição de ensino superior universitária, tendo sido, por exemplo, o primeiro Presidente do nosso Conselho Pedagógico”, recorda António Manuel da Fonseca, diretor da FADEUP.

Já após a sua jubilação, em 2007, a “vontade e disponibilidade para continuar a ajudar no cumprimento da missão e no desenvolvimento da Faculdade” levaram a que lhe fosse concedido pela U.Porto o título de Professor Emérito, reservado aos docentes reformados que se destacaram pelos altos serviços à instituição e que, por isso mesmo, continuam a colaborar com a Universidade.

Na ocasião, foi-lhe confiada a tarefa de criar e dinamizar o Centro de Estudos Avançados em Sociologia do Desporto. Uma incumbência que acabaria por ser condicionada por razões de saúde, que progressivamente o impediram de se deslocar com a regularidade desejada da Bélgica, onde residia, e onde acabaria por falecer.

Sobre o legado deixado por António da Silva Costa, o diretor da FADEUP nota ainda que “não menos importante, e sempre recordada e reconhecida, foi a sua postura íntegra, humanista e bondosa que mereceu sempre a consideração e a estima de todos quantos com ele lidaram, em todas as funções que desempenhou”. Como tal, remata António Manuel Fonseca, “o seu falecimento provoca em nós uma profunda saudade”.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Paulo Pereira

Paulo Pereira: “A Paixão é a primeira coisa que tem de existir”

Paulo Pereira não tem mãos a medir por estes dias. Depois de conduzir a seleção nacional de andebol à sua melhor classificação de sempre – 6.º lugar –  no Campeonato Europeu de Andebol, o antigo estudante da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP) e vencedor do Prémio Mérito Excelência da Gala do Desporto da U.Porto 2019, acaba de ser eleito o melhor treinador do Ano na 24.ª Gala da Confederação do Desporto de Portugal.

“[O prémio] resulta do trabalho de muita gente (…) staff, atletas, clubes que trabalham bem para depois que esse reconhecimento seja feito”, começa por revelar o selecionador, em conversa com o Notícias U.Porto.

O orgulho pelos feitos recentes da Seleção está todo lá. Bem como a humildade. “Trabalhamos durante anos e esperamos, sonhamos que algum dia isto possa acontecer. Mas não nos podemos entusiasmar muito. Eu vou continuar a trabalhar da mesma forma como até aqui”.

Paulo Pereira, 54 anos, comanda a Seleção Nacional de Andebol desde outubro de 2016. (Foto: Federação de Andebol de Portugal)

A relação de Paulo Pereira com a Universidade do Porto começou em 1986, quando o então jovem natural de Amarante ingressou como estudante na Faculdade de Desporto. Uma história que teve de interromper por três anos para integrar o serviço militar. Regressou em 1990 e terminou o curso em 1995 enquanto jogava andebol e tinha uma atividade remunerada fora do desporto. “Depois chegou uma altura em que tive que decidir, e deixei de jogar aos 27, 28 anos, deixei essa a atividade a e comecei a dar aulas”, recorda.

Passados cerca de 13 anos, o já professor de Educação Física decidiu então correr o risco de pedir uma licença sem vencimento de curta duração, que acabaria por não ser ser concedida. Há males, contudo, que vêm por bem. “Desde aí, há cerca de 15 anos, que sou profissional de andebol e não estou nada arrependido”, diz.

Com um percurso intercalado entre Portugal (foi campeão nacional pelo FC Porto) e o estrangeiro, com passagens por Tunísia e Angola, Paulo Pereira assumiu o comando da Seleção em outubro de 2016. A glória acabaria por chegar três anos – e dois apuramentos falhados para Europeus e Mundiais – depois, com a qualificação para a fase final do Europeu, 14 anos depois da última presença.

Em setembro de 2019, a U.Porto atribuiu na Gala do Desporto a Paulo Pereira o galardão de Mérito Excelência. (Foto: CDUP-UP)

Conciliar o curso e o desporto

À semelhança do como Paulo viveu enquanto  estudante da U.Porto, também na equipa que brilhou na Áustria, Noruega e Suécia existem alguns estudantes atletas, oito dos quais participaram nas Universíadas (2015) e Mundial Universitário (2014). O selecionador acredita que é possível conciliar os dois mundos. “Um atleta pode tirar um curso, nem que seja com mais tempo. Não tem que tirar em 5 anos, pode tirar em 7 ou 8, que é o que acontece muitas vezes. É possível, mas com muita organização e prioridades”.

O antigo estudante da U.Porto realça que “em determinados momentos é duro, mas é perfeitamente possível, desde que as pessoas queiram, se dediquem e façam um esforço extra que um aluno normal não faz. Se calhar têm menos noites de copos, mas também têm, agora há prioridades e momentos para tudo. Esta gente tem de se organizar de uma forma mais eficaz para depois atingir as metas a que se propõe”.

Paulo Pereira visitou recentemente o Estádio Universitário do Porto, onde passou algum tempo da sua vida académica.

Para os estudantes atletas universitários, Paulo Pereira deixa ainda uma mensagem: “Para se conseguirem objetivos quase impossíveis, a primeira coisa é nós termos uma paixão enorme por aquilo que fazemos, se não a tivermos é quase impossível atingir objetivos. (…) Um aluno universitário que pratique um desporto, sobretudo um desporto profissional, não é uma pessoa igual às outras, nem pode ser. Por isso, a paixão é a primeira coisa que tem que existir!”

O sucesso da seleção

Certo é que, com as vitórias alcançadas por Portugal sobre algumas das seleções mais imponentes no mundo do Andebol, como a França, Suécia, Bósnia e Hungria, o antigo estudante da U.Porto está agora “nas boca do mundo”.  De 9 a 26 de janeiro, o país acompanhou e vibrou com o Europeu de Andebol, feito que Paulo Pereira acredita ter acontecido porque “há coisas que são comuns a todas as modalidades. Uma delas é representar o país com o grau de compromisso que nós tivemos. (…) Quando as pessoas veem o nosso grau de compromisso, além de emocionados ficam impressionados e dão-nos os parabéns”.

E o telefone não tem parado nos últimos dias. “Recebemos os parabéns de muita gente, não só do Presidente da República que me ligou 4 ou 5 vezes durante o campeonato, como do Fernando Santos, do Renato Garrido, (..) do próprio secretário de estado, o Vítor Pataco, que estiveram sempre presentes. Toda a gente ficou impressionada com a nossa prestação, mas sobretudo não era com o ganhar e perder. Era com a forma de como nós competimos”, remata o treinador.

O selecionador explica o sucesso no Europeu deveu-se a “um grupo de atletas com um carácter excecional” e “comprometidos com representar Portugal” (Foto: Federação de Andebol de Portugal)

Quando questionado sobre a gestão de emoções entre os jogadores perante os resultados que foram alcançando, o selecionador não lhes poupa elogios. “Nós temos um grupo de atletas com um carácter excecional, querem ganhar e estão comprometidos com representar Portugal. E depois nós tratamos de que todos se centrem muito no processo e não no resultado, no sentido de cada um saber bem o que tem que fazer, de conhecer bem os nossos rivais”, explica.

Com a classificação no EURO 2020, Portugal alcançou a presença no Torneio Pré-Olímpico, que será disputado em França, no qual sairão apurados para os Jogos Olímpicos de Tóquio, os dois primeiros classificados do grupo. O primeiro jogo será a 17 de abril frente à Tunísia, vice-campeã de África, e, no dia seguinte, defronta a Croácia, vice-campeã da Europa, seguindo-se o último jogo do grupo com a França.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

José Augusto Santos

Professor jubilado da FADEUP sagra-se campeão do mundo de Canoagem

José Augusto Santos, professor jubilado da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), conquistou, no passado dia 14 de outubro, a medalha de ouro na prova de Masters (escalão 70-74 anos) dos Campeonatos do Mundo de Maratonas de Canoagem.

Na prova, realizada na cidade chinesa de Shaoxing, o antigo docente da FADEUP percorreu os 14,6 quilómetros de percurso em 1h15m.

Esta é mais uma vitória a juntar ao currículo de José Augusto Santos. Em 2018, o antigo docente já tinha vencido a prova para veteranos – com mais de 70 anos – da Taça do Mundo de Maratona, disputada em Ponte de Lima.

Uma vida dedicada ao desporto

Natural do Porto, José Augusto Rodrigues dos Santos, 70 anos, é licenciado em Educação Física (1981) pelo ISEF / Instituto Superior de Educação Física  da Universidade do Porto (antecessor da atual Faculdade de Desporto) e Professor Jubilado da FADEUP, onde coordenou o gabinete de Desportos Náuticos da faculdade e foi responsável pela lecionação da disciplina Optativa de Remo-Canoagem. Em dezembro de 2018, deu a sua Última Aula na FADEUP, momento que assinalou a sua jubilação, aos 70 anos.

Aos 70 anos, José Augusto dos Santos continua a dedicar-se à prática desportiva ao mais alto nível. (Foto: DR/Arquivo)

Em paralelo com o percurso académico, traçou igualmente um trajeto de relevo ligado desporto de alto rendimento. Membro da equipa que, pela primeira vez, representou oficialmente Portugal em competições internacionais de canoagem, foi atleta internacional de canoagem e basquetebol, para além de treinador de remo, canoagem e futebol.

Entre 1980 e 1984, orientou a seleção portuguesa de canoagem e, de 1999 até 2000, foi Diretor Técnico da Federação Portuguesa de Canoagem. Como preparador físico de futebol, passou por várias equipas da 1.ª e da 2.ª divisão, tendo ainda  trabalhado com as seleções nacionais de Portugal (EURO’2000) e da Coreia do Sul (2003-2004).

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

primeiro encontro alumni uporto suiça universidade do porto

Orgulho de ser U.Porto marca primeiro encontro de Alumni na Suíça

A diversidade e o orgulho foram a nota dominante no primeiro encontro dos antigos estudantes da Universidade do Porto (U.Porto) residentes na Suíça, que se realizou no passado dia 30 de janeiro na cidade de Genebra.

Cerca de cinco dezenas de antigos estudantes da U.Porto, vindos não só de Genebra mas também de outras cidades como Zurique, Berna, Basileia e Lausanne, esgotaram a “La Cantine des Commerçants”, o local escolhido para a realização do encontro. “Com muita pena minha, tive de recusar várias inscrições nas vésperas do evento, por falta de espaço”, realçou Ana Filipa Linhas, a Embaixadora ALUMNI da U.Porto em Genebra, deixando a porta aberta para a realização de mais eventos semelhantes num futuro muito próximo.

O encontro contou também com a presença de uma delegação da U.Porto encabeçada pelo Reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo e pelo Pró-Reitor da U.Porto com o pelouro dos Antigos Estudantes, Carlos Brito. Sebastião Feyo de Azevedo salientou mesmo que este evento “representou um passo muito importante na estratégia de internacionalização e na aproximação aos antigos estudantes da Universidade”.

O Reitor da U.Porto realçou os três eixos fundamentais desta estratégia, que passam pelo “apoio constante à comunidade ALUMNI da U.Porto, ouvir o que esta comunidade tem a dizer à Universidade e promover o relacionamento e o networking da comunidade entre si”.

Este evento, que consistiu num jantar convívio em ambiente informal, ficou marcado não só pela forte participação da comunidade alumni da U.Porto mas também pela sua diversidade, contando com a presença de antigos estudantes de 11 faculdades diferentes: Arquitectura (FAUP), Belas Artes (FBAUP), Ciências (FCUP), Desporto (FADEUP), Direito (FDUP), Economia (FEP), Engenharia (FEUP), Farmácia (FFUP), Letras (FLUP), Medicina (FMUP) e do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS).

Smiley face

Mafalda Tenente, alumna da FEP residente em Zurique (a cerca de 3 horas e meia de distância de Genebra) deslocou-se exclusivamente para este jantar e recordou a “excelência do ensino da U.Porto”, algo que “se reflete quando chegamos ao estrangeiro dando-nos uma bagagem muito sólida para o mundo empresarial”. A gestora de marketing na indústria farmacêutica considera o esforço de “ativar a rede alumni da U.Porto muito importante”.

Também César Carpinteiro, alumnus da FEUP e um dos vários antigos estudantes da U.Porto que são agora colaboradores no CERN, e que estiveram presentes neste evento, recordou as excelentes “condições que a Universidade proporcionou para conhecer o mundo”. Já Sérgio Coelho, também alumnus da FEUP  e atual quadro de uma farmacêutica suíça, manifestou inclusivamente a vontade de ajudar a sua alma mater na promoção de estágios na sua empresa.

Mas a comunidade ALUMNI da U.Porto é também é uma história de famílias. Exemplo disso mesmo são Tony Gomes e Marta Perez, casados, e ambos antigos estudantes da FCUP e que, juntamente com o filho de 4 anos, marcaram presença neste encontro. A vontade de regressar à Universidade para voltar a estudar foi uma nota dominante, “nem que seja uma pós-graduação”, salienta Tony Gomes.

Este evento inseriu-se no programa Embaixadores U.Porto ALUMNI coordenado pelo Pró-Reitor para os Antigos Estudantes. Nas palavras de Carlos Brito, “esta iniciativa de desenvolvimento do programa de Embaixadores U.Porto ALUMNI, devidamente articulada com as várias Faculdades, é mais um dos fortes contributos para a implementação de uma nova política de gestão de relações com os antigos estudantes da U.Porto”. Nesse âmbito, Carlos Brito recorda também o desenvolvimento, em curso, de “um projeto tecnológico integrado de modernização digital da rede ALUMNI da U.Porto”. Projeto este que se estrutura através do novo Portal ALUMNI U.Porto, através de um sistema de Costumer Relationship Management (que irá profissionalizar e modernizar a base de dados dos antigos estudantes da U.Porto, que conta, atualmente, com cerca de 90.000 contactos de antigos estudantes registados) e ainda uma forte aposta na presença da U.Porto na plataforma de rede social Linkedin.

De referir que esta rede social desempenhou mesmo um papel fundamental na mobilização dos antigos estudantes da U.Porto, localizados na Suíça, através do grupo “U.Porto ALUMNI na Suíça”.

Fonte: Portal de Notícias da U.Porto

Veja também:
Galeria de Fotos | Reportagem Vídeo | Reação no Facebook | Reação no Facebook II

https://alumni.up.pt/news/orgulho-de-ser-u-porto-marca-primeiro-encontro-de-alumni-na-suica/